sábado, 21 de dezembro de 2013

8 Segredos não revelados sobre Os Simpsons que vão te surpreender

Toda família tem seus defeitos e segredos que permanecem escondidos dentro de casa, e isso também se aplicam a franquias, como é o caso de Os Simpsons e a “família” que fica nos bastidores, responsável pela criação da série. Encontramos 8 destes segredos, alguns deles tão reveladores que vão te fazer mudar seu conceito sobre a série.

Acredite, você vai se surpreender. Confira!

1. O episódio piloto foi um completo desastre

O real primeiro episódio de Os Simpsons não chegou a ir ao ar. Era terrível, mal desenhado (lembrava muito Os Anjinhos) e ainda não tinha os dubladores originais que conhecemos. A animação que vemos no vídeo acima passou por uma avaliação antes de ir ao ar, e foi assistida por James L. Brooks. Após assistir o episódio ele comentou “Isto é uma m*.” Muitos se levantaram e saíram da mesa nesta ocasião, mas Brooks permaneceu na sala para conversar com Gasbor Csupo, co-foundador do estúdio de animação Klasky-Csupo, que insistiu que o problema estava na história, e não na animação. Eles resolveram recriar os personagens e então o especial de natal, “Simpsons Roasting on an Open Fire,” foi aprovado e exibido na TV pela primeira vez no dia 17 de Dezembro de 1989.

2. A famosa palavra “D’oh” de Homer não estava no script
segredos-simpsons_2

A famosa palavra “D’oh” mencionada por Homer na série, não estava no script. Quem incrementou a palavra na série foi o próprio dublador do personagem da série original americana, Dan Castellaneta, com uma ajudinha do criador Matt Groening. No curta Tracey Ullman, Castellaneta, o dublador, deveria ter feito apenas um grunhido, mas ele pronunciou a palavra “d’oooohh” em homenagem ao gemido exasperado do ator Jim Finlayson. Como o desenho era na verdade um “curta”, Groening pediu para os editores acelerassem a cena. Então, o nosso querido “d’oh” nasceu.

3. O vovô Simpson da série foi coincidentemente batizado pelos escritores com o mesmo nome do avô do criador da série, Matt Groening
segredos-simpsons_3


Não é nenhum segredo que os nomes dos personagens da série tenham sido inspirados em membros da família do criador, Matt Groening. No momento em que foi apresentar o projeto a James L. Brooks, Groening ainda não sabia qual nome eles teriam, então na pressa ele resolveu batizar os personagens com nomes dos membros de sua família, com exceção de Bart, porque ele não achou uma boa ideia nomear o personagem com seu próprio nome. Ao invés disso, um anagrama da palavra “brat” foi selecionado e então o nome foi escolhido. Outro personagem que até aquele momento também não tinha nome era o pai do Homer. Quando chegou a hora que dar o primeiro nome do vovô Simpson, Groening também não queria usar o nome de seu avô na vida real, então pediu para os escritores Jay Kogen e Wallace Wolodarsky dessem o nome para o vovô. O nome escolhido por eles então foi Abraham, que coincidentemente é o mesmo nome do avô de Groening.

4. Muitos animadores de Os Simpsons trabalham ou já trabalharam nos estúdios Pixar
fatos-curiosidades-pixar_17

Entre os vários ‘easter eggs’ que os animadores do estúdio Pixar colocam nos filmes, apareceu o código “A113”. O código é na verdade o número de uma das salas de animação do Instituto de Artes da California. A sala foi compartilhada por mestres da animação como John Lasseter e Brad Bird.

Brad Bird, que hoje trabalha nos estúdios Pixar, inseriu este easter egg nos desenhos Os Incríveis e Ratatouille, mas este easter egg é antigo, já tinha aparecido em alguns episódios de Os Simpsons décadas antes, pelo próprio Bird.

David Silverman,o escolhido para dirigir Os Simpsons: O Filme, também foi co-diretor do filme Monstros, SA, da Pixar. Outros animadores que passaram a trabalhar para a Pixar são Jeff Pidgeon — animador em Toy Story bem como o dublador dos Alienígenas verdes — e Jim Reardon, escritor de Wall-E.

5. O ambiente de trabalho dos escritores no estúdio de criação de Os Simpsons é extremamente “chato”
segredos-simpsons_5

Imagine uma sala cheia de escritores de comédia formados em Harvard, cuidadosamente escolhidos para se sentar em uma sala juntos e escrever para uma das mais famosas séries de comédia de todos os tempos. Deve ser super divertido, certo? Errado. Além de muitos conflitos lá, todos os escritores que são contratados vão para o estúdio para trabalhar, e não para rir. (qualquer semelhança com a realidade da sua empresa é mera coincidência)

A mentalidade do estúdio de criação de Os Simpsons é totalmente diferente da mentalidade dos outros estúdios de animação, como o da Pixar, por exemplo. O tempo dos escritores é gasto na empresa em completo silêncio, trabalhando com o roteiro de cada episódio, para literalmente criarem uma linha de cada vez. Quem comenta isso é Conan O’Brien, que já trabalhou lá. Segundo ele, houve uma situação em que uma equipe de cinema alemã veio documentar o processo de criação dos episódios de Os Simpsons, mas a coisa toda foi tão sem graça pra eles que eles só visitaram a empresa no primeiro dia, e não retornaram nunca mais. No dia em que estiveram lá, eles passaram o dia assistindo aos escritores discutindo em seu escritório por horas para criar uma única linha de reação de Marge em um episódio.
6. Os dubladores de Marge e Homer da versão francesa da série se casaram após terem se conhecido dublando a série
segredos-simpsons_6

Nem tudo é pesadelo por trás dos cenários de Os Simpsons. Os dubladores franceses Phillipe Peythieu e Veronique Augereau foram escolhidos para dublar Homer e Marge, respectivamente, para a versão francesa da série. Eles se conheceram durante o processo de seleção, em 1989, e se casaram em 2001. Eles ainda estão juntos, assim como Homer e Marge.

7. A personagem Maude Flanders foi assassinada devido a interesses financeiros da FOX

A dubladora americana Maggie Roswell deu sua voz às personagensMaude Flanders, Helen Lovejoy, e Miss Hoover da série. Conforme o tempo passava, ela naturalmente pediu um aumento de salário de FOX, pois seu salário na época era quase que apenas o necessário para cobrir suas despesas com passagens aéreas. O aumento não veio, então ela decidiu que era hora de se desligar da empresa.

Como resultado, os autores pensaram que seria muito estranho os fãs verem a família Flanders com uma esposa calada, então decidiram resolver o problema colocando um de seus personagens mais amáveis​​, mais sensíveis, a 7 palmos debaixo da terra. A morte sempre esteve presente na série, característica esta que, honestamente, tem deixado a série mais real e interessante.


A dubladora Roswell e a FOX resolveram suas diferenças com o passar do tempo, e a FOX permitiu que as falas das personagens fossem gravadas em sua casa, em Denver, EUA. Ela hoje continua fornecendo sua voz para personagens como Helen Lovejoy, bem como para Maude, em uma aparição do fantasma dela na Temporada 14 da série, no episódio de estréia “Treehouse of Horror XIII.”

8. Matt Groening não fez tudo sozinho, Sam Simon foi a força criativa principal de Os Simpsons
segredos-simpsons_8

Da próxima vez que assistir os especiais de Halloween da série e e ver os apelidos aparecerem nos créditos, você talvez se pergunte: Quem exatamente é Sam “Sayanora” Simon e por que ele está listado em “desenvolvido por” nos créditos? A história que responde ambas as perguntas é longa.

Quando a série foi pela primeira vez transformada em um programa de meia hora, James L. Brooks contratou o produtor de TV e escritor Sam Simon para ajudar a desenvolver o série com a sua experiência. Matt Groening era apenas um garotão na época, e obviamente bateu de frente com Simon várias vezes nas duas primeiras temporadas. Ambos tinham diferentes linhas de pensamento, Simon queria algo mais “pés no chão” enquanto Groening queria que a série fosse mais fantasiosa, sugerindo até mesmo que Marge revelasse que tinha orelhas de coelho escondidas dentro de sua cabeleira. Apesar das brigas, Groening amadureceu e soube reconhecer o colega, certa vez descreveu Simon como “brilhantemente engraçado” e “um dos mais inteligentes escritores com quem já trabalhou”, embora também tenha achado ele desagradável e mentalmente desequilibrado. Por outro lado, funcionários como Brad Bird por várias vezes o chamaram de “herói anônimo” do show.

Apenas para que você saiba quais foram as contribuições de Simon para a série, ele criou o Sr. Burns, Dr. Hibbert, e o Chefe Wiggum. Foi ele que veio com a ideia de que Smithers era gay, mas soube introduzir isso na série com sutileza. Ele também criou a personalidade intelectual e culta de Lisa Simpson, e o melhor de tudo, ele foi responsável pela contratação da maioria dos escritores mais talentosos da série, incluindo George Meyer, John Swartzwelder, Al Jean, Mike Reiss, Jon Vitti, Jay Kogen e Wallace Wolodarsky. Devido à tensão entre ele e Groening, Simon foi forçado a se desligar do estúdio, mas não antes de negociar um acordo que o fez ganhar dezenas de milhões de dólares anualmente, graças aos poucos anos de contribuição inicial à série.

Infelizmente, recentemente, com a idade de 58 anos, Simon foi diagnosticado com câncer colorretal terminal e dado uma estimativa de três a seis meses de vida. Como se ajudar a criar Os Simpsons não fosse suficiente, ele pretende doar sua fortuna para várias instituições de caridade, a maioria delas relacionadas a animais. Portanto, Simon é o cara!

Fonte: 1


4 comentários:

  1. Excelente post, e excelente blog. Forte abraço !

    ResponderExcluir
  2. Agora são segredos revelados...

    ResponderExcluir
  3. Segredos ou não, os simpsoms é a melhor sério existente! homer é foda de mais!!! ele lembra meu pai...

    ResponderExcluir
  4. Os Simpsons ja estão ha mais de vinte anos no ar, não é qualquer serie de animação que dure tanto. cada episodio é uma jornada de seis meses para produzi´la, os temas irreverentes dão o clima, historias aleatorias desprovidas de qualquer ideologia ou tendenciosa, valeu continuem assim.

    ResponderExcluir