quinta-feira, 13 de agosto de 2015

10 Fatos curiosos e desconhecidos sobre o primeiro Mad Max

O avô de todos os filmes de ação distópicos, Mad Max explodiu nos cinemas em 1979. Em toda a sua glória vestindo uma roupa de couro pesada, mudando o gênero para sempre. Influenciado pela crise do petróleo de 1973, que causou muita violência pros motoristas em todo o mundo, Mad Max descreveu um mundo desolado com longos trechos de rodovias interrompidas e abandonadas pela civilização. Os restos de uma força policial forte, a MFP – Main Force Patrol – faz o seu melhor pra manter a lei, enquanto gangues selvagens de motociclistas foras da lei saqueiam, estupram e destroem tudo em seu caminho. Um desses oficiais, Max Rockatansky, perde a fé na justiça depois que sua melhor amiga, esposa e seu filho recém-nascido são vítimas da pior gangue de todas, liderada pelo Genghis Khan da terra desolada, o Toecutter.

Filmado durante 12 semanas nos arredores de Melbourne, com um orçamento modesto de 350.000 dólares australianos, a produção de Mad Max foi por vezes tão caótica e perigosa quanto o mundo retratado no filme. O diretor George Miller, que estava fazendo seu primeiro longa, reuniu todos os recursos imagináveis ​​fazendo sua obra. O nascimento de Mad Max esteve cheio de ossos quebrados, propulsores de foguetes militares e missões suicidas pra obter as cenas mais insanas e mais próximas da realidade possível. Eram homens de verdade fazendo acrobacias reais em carros reais que estavam a mais de 160 km/h. Claro que as acrobacias e perseguições de carros na sequência do novo Mad Max foram indiscutivelmente superiores, podem ser mais impressionantes, porém o filme teve muito mais apoio por trás dele, com mais de 10 vezes o orçamento da inicial e anos de desenvolvimento tecnológico.

Como Miller e sua equipe conseguiram? Vamos dar uma olhada nas 10 coisas que você não sabia sobre Mad Max .

1. O rosto arrebentado de Mel Gibson lhe deu o papel

01
Mel Gibson, com 21 anos, só foi pra audição pra apoiar um de seus amigos, Steve Bisley, que ficou com o papel de Goose. Gibson se envolveu numa briga de bar na noite anterior e seu rosto estava uma bagunça, inchado e com hematomas. Vendo algo por trás das contusões, um dos agentes de elenco avistou Gibson maltratado e o convidou a voltar em três semanas porque eles precisavam de “malucos”. Três semanas depois, Gibso, já curado, voltou e encantou os cineastas com sua robustez bastante masculina. Pediram pra ele ler as falas de Max e você sabe o resto – a foto acima é de The Road Warrior, mas funciona para este tópico.

2. O diretor de arte era um ladrão

02
O diretor de arte Jon Dowding e seu departamento de adereços tiveram que fazer a maior parte do filme com baixo orçamento – mesmo que isso significasse roubar um pouquinho. No comentário do DVD, Dowding confessa que roubou a maior parte dos adereços e placas da lojas de conveniência, onde Jessie vai pra tomar um sorvete. Ele roubou tudo no início da manhã, eles filmaram a cena e ele colocou tudo de volta durante a noite. Não se preocupe, Dowding faz um sincero pedido de desculpas nos comentários.

3. A cerveja foi a grande estrela no estúdio

03
E eu não quero dizer que Mel Gibson ficou bêbado e discriminou os judeus. O diretor George Miller subornou um monte de gente pra trabalhar no filme com “placas” de cerveja. Na Austrália, uma caixa vem com 24 latas. Várias dessas foram usadas ​​pra pagar motoristas de ambulância, motoristas de trator e talvez alguns dos motociclistas também. Soa como um negócio justo pra mim.

4. Foi inspirado em vítimas de acidentes de carro

04
O escritor e diretor George Miller usou uma inspiração horrível pra Mad Max. Miller foi estudante de medicina e completou sua residência num hospital de Sydney em 1972. Como médico no pronto-socorro, ele viu um fluxo constante de vítimas mutiladas por acidentes de carro. Estas mais tarde contribuiriam pra estética do universo de Mad Max. No filme, uma ambulância é chamada de “caminhão de carne”, um termo que Miller usava no pronto socorro. E você sabia que o Max tem um sobrenome? É Rockatansky, como Baron Carl von Rokatansky, o patologista que desenvolveu um procedimento pra remoção de órgãos internos na autópsia.

5. Sem Mad Max , não haveria Jogos Mortais

05
No final de Mad Max vemos nosso anti-herói no modo de vingança completa. Depois de cuidar de Toecutter, Max finalmente alcança Johnny Boy, que está saqueando um carro acidentado. Max algema o tornozelo de Johnny no carro capotado, que está vazando gasolina. Ele equilibra um isqueiro perto do vazamento e joga pra Johnny um serrote – dando-lhe a “opção” entre o próprio tornozelo e as algemas, que ele certamente não consegue serrar antes do carro explodir. Soa familiar? Os criadores da série Jogos Mortais, James Wan e Leigh Whannell – australianos -, se inspiraram nessa cena final pra sua franquia.

6. Toecutter era um ator shakespeariano


É fácil dizer que o Toecutter é um ator shakespeariano de formação clássica, certo? O versátil ator Hugh Keays-Byrne nascido na Índia e criado na Inglaterra se mudou pra Austrália em 1973 com a Royal Shakespeare Company. Antes de Mad Max, ele atuou em filmes clássicos como Mad Dog e Stone ao lado de Dennis Hopper. Keays-Byrne também utilizou sua formação clássica em Mad Max – improvisando diferentes sotaques em quase todas as cenas e quando ameaçou May na casa de campo. Posteriormente, ele atuou em dois episódios de Farscape como o asqueroso empresário Grunchlk.

7. A frente do caminhão era falsa


Quando Toecutter se choca a toda velocidade contra o enorme caminhão no final e seus olhos literalmente se projetam pra fora de órbita, olhe de perto. Toda a frente do caminhão é um “escudo”. Miller pagou 50 dólares a um motorista de caminhão – e, provavelmente, uma caixa de cerveja – pra atropelar a moto do manequim de Toecutter, mas o motorista não quis sujar a frente do seu caminhão. Assim, Miller teve que fazer seu departamento de adereços pintar uma grande folha de metal pra se assemelhar aos faróis e tudo mais. Uma vez que você perceber – 1:08 no vídeo acima -, vai se odiar por não ter percebido antes. É maravilhosamente óbvio como a frente do caminhão é falsa, mas não é percebida por causa da brutalidade impressionante da colisão.

8. Foram usadas gangues de motociclistas reais

06
Um monte de figurantes da equipe de Toecutter era de gangues de motociclistas de verdade – muitos deles realizavam as acrobacias, inclusive. O elenco recrutado em duas gangues locais chamadas “Vigilantes” e “Hell’s Angels. Miller ficou com medo de ser parado pela polícia porque eles foram convidados a se juntar à equipe usando seus uniformes – com armas e tudo. Pro caso de isso acontecer, ele deu aos motociclistas cartas que foram de declarações com o timbre do estúdio, explicando que os motociclistas eram figurantes. Um dos membros dos Vigilantes foi um cara que é atingido na cabeça com a moto durante o acidente na ponte. Não se preocupe, o motociclista se limpou e continuou a atirar.

9. O dublê fez o seu melhor trabalho com uma perna quebrada


O lendário dublê australiano Grant Page coordenou e executou manobras em dezenas de filmes nos anos 70 e 80, incluindo Enigma na Estrada, onde ele perseguia Jamie Lee Curtis, e Stuntrock, onde ele fazia acrobacias ridículas enquanto uma banda de rock brega, chamada Sorcery, tocava. Page teve um grande papel nas acrobacias de Mad Max – fazendo cenas com carros e motos.

Sua façanha no filme é saltar do Interceptor durante a perseguição de abertura do filme. Ainda mais difícil que o salto real do carro é o fato de que Page fez isso com uma perna quebrada.

Page estava a caminho do estúdio quando um trailer cortou sua motocicleta, levando-o a desviar por baixo das rodas do caminhão. Ele fez isso com segurança, mas a moto desabou sobre ele e quebrou sua perna. Depois disso, Page entrou no set e executou uma das acrobacias mais bonitas de todos os tempos. Na verdade, há mais de uma história de perna quebrada em Mad Max. Sheila Florance, a atriz que interpretou a idosa May, que segurava uma espingarda, tropeçou num buraco de coelho durante as filmagens e quebrou a perna. Ela engessou o quadril e estava no set no dia seguinte.

10. Colocaram um foguete militar no carro de Max

07
Os dublês não são o que costumavam ser. Em Mad Max, o departamento de dublês destemido decidiu que seria uma boa ideia de colocar um foguete militar no carro – pronto pra acelerar antes de explodir numa bola de fogo gloriosa. Em sua primeira e única tentativa pra conseguir a cena, o foguete liberou quase 3 mil quilos de pressão em 1,8 segundos. Um carro girando em 180 graus a quase 150 km/h não é a coisa mais fácil de prever e acabou perseguindo a equipe de filmagem por quase metade de uma milha antes de atingir uma vala.

Depois de finalmente rebocarem o carro depois de dois dias, eles foram capazes de filmar a explosão. De jeito nenhum uma equipe seria capaz de fugir de um foguete militar num carro dublê hoje em dia. Eles teriam que se contentar com CGI a lá Michael Bay.

Fonte: 1


Um comentário:

  1. gostei muito de ler essas curiosidades sobre MAD MAX. boa postagem

    ResponderExcluir